Coronel Hélio, do PRTB, quer implantar dez escolas cívico-militares em Natal

Coronel Hélio, do PRTB, quer implantar dez escolas cívico-militares em Natal

Candidato do PRTB à Prefeitura de Natal, Coronel Hélio Oliveira pretende instalar pelos menos dez unidades de escolas cívico-militares na cidade. Ele também afirma que, se eleito, vai ampliar o tempo de ensino das disciplinas como português  e matemática e evitar que a sala de aula seja utilizada para a divulgação de ideologias.  “Vou mostrar que, dentro da sala de aula, teremos mais Português, Matemática, matérias escolares e não ideologia. Defendemos escola sem ideologia de gênero, escola sem partido, não podemos ser cristãos e conservadores e permitir que, dentro de uma sala de aula, possamos ter conteúdo dessa natureza”, afirmou, na entrevista à rádio Jovem Pan News Natal. Leia, abaixo, os principais treco da entrevista. 

O senhor é o candidato que mais usou recursos próprios na campanha eleitoral (R$ 160 mil) e contou verbas do fundo partidário, porque uma aposta tão alta para disputar uma eleição pela primeira vez?

Acredito que dinheiro público tem de ser aplicado em ações públicas e aqueles que se colocam no pleito eleitoral. É preciso que ter financiamento privado. Existem pequenas doações de pessoas físicas, mas tem que ser realmente um candidato que queira assumir esse compromisso com o povo, porque dinheiro público tem de ser aplicado em projetos voltados para o público. Não admito se utilizar dinheiro público para campanha eleitoral.

O senhor fala em reduzir secretarias e 50% cargos comissionados, quais são essas secretarias e quanto o senhor pensa em economizar com isso?

Dentro de nossa reforma administrativa temos, em primeiro lugar, a construção da sede de órgãos da prefeitura na Ribeira. Hoje, Natal gasta R$ 2 milhões por mês com a locação de imóveis para as 27 secretarias. Vamos reduzir para 15 secretarias, com junção de cargos comissionados, uma economia que vamos aplicar no programa de primeiro estágio profissional para os jovens das comunidades mais vulneráveis.

O senhor fala em melhorar os índices do Ideb em 50%. Como pretende mudar o modelo de ensino que é prestado hoje em Natal?

Não é necessariamente mudar. Vou trazer o modelo que já foi aplicado quando fui gestor na Base Aérea de Natal, a maior do país, onde a Escola Santos Dumont, que fica lá dentro, veio da 119ª para ser a décima escola do país. O que fizemos? Colocamos uma gestão administrativa militar, uma pessoa que era preparada, possibilitado que voltássemos a ter ordem e disciplina na escola, restaurássemos os valores conservadores, os símbolos nacionais voltaram, Hino Nacional e Hino à Bandeira, valorizamos os professores. Consequentemente os pais dos alunos vieram para dentro do projeto, com reuniões mensais e aqueles alunos que não queriam estudar saíram da escola, simplesmente. Restauramos a escola e reformamos a infraestrutura dela. É o segredo para a gente poder restaurar o nosso ensino, seja ele fundamental, básico ou médio.

Os dirigentes de escolas municipais hoje são escolhidos por eleição direta, o senhor pretende mudar esse modelo?

No meu projeto, tem as escolas cívico-militares e já tivemos em Brasília conversando com o ministro da Defesa, general Azevedo. E o presidente da República, Jair Bolsonaro, já assinou a autorização para trazer um Colégio Militar para Natal. Já temos uma área destinada para isso, na avenida Roberto Freire.

Mas o governo federal já deu autorização para uma escola?

Já está instalada e já conversei com o corpo técnico da escola, mas o prefeito não queria escola cívico-militar aqui. A pressão foi para que ele aceitasse e só aceitou uma escola aqui no município. Eu vou trazer pelo menos dez escolas no primeiro ano de gestão, os custos são bancados pelo governo federal.

O senhor também diz no seu programa de governo que vai enviar projeto para a Câmara Municipal sobre o “Escola sem Partido” e vedação de ensino de ideologia de gênero nas escolas?

Estou desde 2014 nas ruas combatendo exatamente o que está no plano de governo e vou mostrar que, dentro da sala de aula, teremos que ter mais Português, Matemática, matérias escolares e não ideologia. defendemos escola sem ideologia de gênero, escola sem partido, não podemos ser cristãos e conservadores e permitir que dentro de uma sala de aula possamos ter conteúdo dessa natureza, até porque isso atrapalha o desenvolvimento do aluno e faz com que ele não tenha um crescimento sadio pra poder termos uma sociedade sadia.

Como seria essa exploração do rio Potengi nos moldes do rio Sena em Paris?

Temos uma terra abençoada nas suas belezas, dentre elas o Potengi. Estive visitando os clubes de remos centenários de Natal e percebi que temos um dos melhores locais do mundo para competições de remo.  Temos mais de três quilômetros retos de rio e através de parcerias com o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) vamos trazer competições em níveis nacional e internacional, movimentar o esporte náutico e aquático. Em todo lugar do mundo os rios são explorados turisticamente e temos um rio pouco explorado.

Como o senhor avalia o Plano Diretor de Natal?

Eu fiz parte do Conplam de 2004 a 2007 quando estava na Base Aérea e sempre fui envolvido com a problemática de Natal, sempre fui preocupado com essa situação. Uma dessas pautas, que me preocupa, é exatamente tratar essas situações que ainda não foram resolvidas no Plano Diretor. Pretendo implantar o modelo expresso de licenciamento. No mundo inteiro, quando uma cidade vai se modernizando, não podemos inibir a iniciativa privada de desenvolver o município. Nós paramos. Aqui do lado, João Pessoa e Campina Grande (PB), Fortaleza (CE), todas se desenvolveram e Natal parou no tempo.

O senhor acha que o PDN teve uma influência nessa paralisação de Natal?

Não, só faltou gestão, porque dentro do Plano Diretor e conheço bem, que foi válido até 2007, tinha as Operações Urbanas Consorciadas, que já possibilitava aumento de potencial construtivo, adensamento de áreas, desde que os investimentos tivessem infraestrutura para esse adensamento. Então, o gestor por não conhecer o PDN e não ter uma equipe comprometida com o desenvolvimento da cidade e com potenciais construtivos, espantou muitos investimentos em Natal. Mas vamos rediscutir com os moradores, em determinadas áreas, o potencial para desenvolver Natal de forma sustentável e sempre respeitando o meio-ambiente e a opinião do entorno do investimento.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *